Em véspera das eleições são notórias as aspirações dos cidadãos que desejam que o acto decorra em clima de segurança e que os resultados do mesmo venham a reflectir-se nas suas vidas. A Economia & Mercado esteve na rua a ouvir as opiniões dos eleitores que manifestam a vontade de ver alterada a situação económica e social do país. O aumento do poder de compra, uma maior facilidade no acesso aos transportes, o incremento no investimento privado e a baixa dos preços dos produtos da cesta básica são alguns dos desejos de mudança da população.
Cristina Banga: “Qualquer que seja o governo que sair das próximas eleições, o meu apelo é que a sua aposta mais séria seja o incremento no investimento privado por nacionais e estrangeiros. Deve haver mais abertura e oportunidades para o investimento privado, principalmente para empresários e investidores nacionais, cujo número permanece insignificante para aquele que é o principal objectivo do Governo, a diversificação da economia. O país deverá deixar de depender da exportação do petróleo e já começou, e bem, a identificar novas fontes de receitas e de aquisição de divisas, pelo que deverá prestar mais atenção à produção interna e diversificada de riquezas.”

Avelino Lourenço: “Espero que as eleições que se avizinham sejam diferente das anteriores, justas e transparentes, no sentido de que não haja fraude e que, no futuro, ninguém se sirva dos bens públicos a seu favor. Espero que os deputados da próxima legislatura se mostrem mais preocupados com a economia nacional nas vertentes do emprego, da formação e da produção.”


(Leia o texto na íntegra, edição de Agosto já nas bancas ou clique aqui)