O Relatório Económico de Angola referente ao ano de 2015, publicado pelo Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola (UCAN) adianta que “o país vive uma desaceleração estrutural”.

O documento apresenta os erros cometidos e aponta algumas soluções.
“A crise petrolífera é a mãe dos problemas económicos que estamos a viver. A situação actual só seria resolvida rapidamente se o petróleo estivesse a 85 dólares o barril. Porém, os últimos dados apontam que até 2020 essa commodity não ultrapassará os 60 dólares”, adiantou o coordenador do CEIC, Alves da Rocha.
O também economista adianta que a diversificação, como já se sabe, é a saída, porém, adianta, a vontade de diversificar muito propalada nos discursos políticos não encontra respaldo no Orçamento Geral do Estado, que continua a cabimentar baixas verbas para o sector agrícola.