“Tornemos o Planeta saudável novamente” é uma das traduções possíveis  da adaptação do slogan da campanha eleitoral de Donald Trump à problemática retirada dos Estados Unidos da América do Acordo de Paris. Em resposta a esta intenção do inquilino da Casa Branca, o presidente francês, Emmanuel Macron, lembrou ao mundo, e em particular às potências do G7, o compromisso de tornar o Planeta novamente saudável. “Make our Planet Great Again”, disse o jovem líder político, alertando seu homólogo norte-americano de que a sua opção se trata de um “erro actual” com graves consequências no futuro.
Nas reacções imediatas ao comunicado de Donald Trump o presidente francês referiu que respeita a decisão do seu homólogo americano, mas alertou que se trata de um erro que acarreta consequências tanto para os Estados Unidos da América quanto para o planeta. Entretanto, aos desapontados com a decisão americana, nomeadamente “cientistas, engenheiros, empreendedores e cidadãos responsáveis”, Emmanuel Macron assegurou que encontrão em França um segundo lar.
“Venham trabalhar connosco”, apelou, reafirmando que o Acordo de Paris é irreversível e que será cumprido e implementado, não só pela França, mas por todas a nações que o rubricaram. “Nós alcançaremos os objectivos, porque estamos completamente comprometidos.



(Leia a revista física, já nas bancas)