Os contratos de investimentos privados em Angola atingiram, no primeiro semestre deste ano, um bilião e 16 milhões de dólares norte-americanos, informou recentemente, em Luanda, a Presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional de Investimentos Privados (Anip), Maria Luísa Abrantes.

Falando no final de uma sessão de assinatura de cinco contratos de investimentos privados, a gestora da Anip referiu que durante o primeiro semestre do ano em curso, a instituição registou investimentos provenientes da, China, Espanha, Alemanha e Portugal.

A maioria dos investimentos, segundo a interlocutora, foi para o sector industrial, área de construção civil, isto é, para a produção de materiais de construção.

Disse também que os investimentos de origem chinesa tiveram um peso considerável em relação aos demais países.
Realçou que o país tem preferências por algumas áreas de investimentos, como o sector industrial, que traz mais-valia, adiantando que o valor mínimo para investir em Angola é de um milhão de dólares norte-americanos.

Maria Luísa Abrantes disse acreditar que existam empresas estrangeiras a operar em Angola sem passar pela Anip. Para essas empresas, disse, esta situação é desagradável, pois ficam sob pressão dos Serviços de Migração e Estrangeiro (SME) e sem possibilidade de importarem bens por estarem ilegais.

A Anip assinou cinco contratos com as empresas Movicel Telecomunicações, Roman Consultoria, FloatNumbers Angola, Trivision Investment, e a Politérmica, todas sediadas na província de Luanda.