O volume de transacções automáticas registou uma redução no início do terceiro trimestre deste ano, de acordo com os dados da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), a que a E&M teve acesso. No entanto, a julgar pelo número de cartões de multibanco emitidos e activos, bem como o número de ATMs e Terminais de Pagamentos Automáticos (TPAs) instalados e em funcionamento, ainda há uma grande concentração destes equipamentos nas sedes provinciais, havendo mesmo municípios que não possuem tais serviços, o que reforça também a maior necessidade de expansão para outras regiões do país. Contudo, em termos gerais, os pagamentos electrónicos crescem todos os anos, revelando-se um instrumento facilitador da relação entre o cliente, o banco e o mercado, além de contribuírem para a redução das enchentes nas dependências bancárias.

De acordo com os cálculos da E&M, o país conta com um multicaixa para cada 700 mil clientes e um Terminal de Pagamento Automático (TPA) para cada 40 mil clientes, considerando os 43 036 TPAs activos e os 2 515 ATMs operacionais comparados com o número de cartões de crédito emitidos e activos.

De acordo com os dados da EMIS, até finais de Setembro foram efectuadas 3,4 milhões de transacções através dos Terminais Automáticos de Pagamentos, das quais 2,8 milhões em compras e 16 mil em recargas telefónicas e pagamentos de televisão por satélite.

Segundo o documento, embora houvesse um grande volume de transacções, registou-se também uma redução na ordem dos 2% em relação ao segundo trimestre, em que as transacções atingiram os 3,5 milhões, sendo que, só em compras, foram 2,9 milhões.

Em termos monetários, as transacções movimentaram 38,708 milhões de kwanzas em Setembro, menos 1,79% comparativamente a Agosto, cujo valor atingiu os 39,415 milhões de kwanzas.

No período em análise, foram contabilizados 7,537 milhões de levantamentos de dinheiro nos ATMs, cujo valor processado atingiu os 83,570 milhões de kwanzas.

TV por satélite é a mais procurada

Dos serviços que mais atraem as pessoas aos ATMs, o pagamento de televisão por satélite lidera com 150 224 operações registadas, as recargas telefónicas seguem com 2.119 movimentos e os bilhetes de passagem com 1.737 operações.

Incluindo todos os serviços que podem ser pagos em ATMs, foram registadas 155 027 operações num montante à volta dos 1 259 milhões de kwanzas, sendo que a energia, a água, os seguros e as propinas escolares são os serviços que as pessoas menos pagam electronicamente.

Até Setembro, a rede bancária contava com 1,784 milhões de cartões de multibanco activos, sendo que todo o país contava com 2.515 ATMs instalados, dos quais 2.362 activos e em funcionamento, com um índice de actividade na ordem dos 94%.

O BPC lidera a lista dos bancos com mais ATMs instalados e maior expansão a nível nacional. Em Setembro somava 461 ATMs em 72 municípios, seguindo-se o BFA com 358 ATMs concentrados em 34 municípios, o BAI 309 em 47 municípios, o BIC 247 espalhados em 70 municípios, o Sol 196 em 47 municípios e o BCI 146 representado em 38 municípios.

No que toca à produtividade da rede de ATMs por província, os dados da EMIS destacam que, em relação ao mês de Agosto, em Setembro registou-se uma variação negativa nas províncias do Kwanza Norte e Lunda Norte, sendo que na província de Malange se manteve na ordem dos 188 ATMs activos.

Já o Cunene registou uma variação positiva, pois em Agosto contava apenas com 186 e passou a ter 229 ATMs em Setembro. Igualmente, a Huíla passou de 198 para 220, o Kwanza Sul de 200 para 221 e o Uíge de 205 para 227 ATMs.

Desagregando a distribuição dos ATMs por município, em Cabinda a capital lidera com 69 ATMs, seguida pelo município de Massabi com 7 e Buco Zau com 2 ATMS.

Na cidade de Benguela, existe um total de 84 ATMs contra os 89 que se podem encontrar no Lobito. Dos 10 municípios que a província possui, apenas Catumbela aparece na lista com 15 equipamentos, sendo que os restantes sete municípios têm um número inferior a quatro.

Saiba mais lendo a edição impressa de Dezembro, nº123. Economia & Mercado… Quem lê, sabe mais!