Economia e Mercado

Tudo sobre o mundo dos negócios em Angola.

Números em Conta

316 milhões

de telemóveis foram registados nos últimos dez anos no continente africano.

155 000 milhões

de dólares norte-americanos é a previsão das receitas globais anuais dos casinos de todo o Mundo em 2012.  

12 milhões

de dólares norte-americanos serão destinados à construção dos novos edifícios da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto em Luanda.  

12 milhões

de dólares norte-americanos serão destinados à construção dos novos edifícios da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto em Luanda.

11 002 500 dólares

foi quanto custou aquele que é considerado o relógio mais caro do mundo. Trata-se do modelo Henry Graves’ Supercomplication, cujo ano de fabrico é o de 1932, tendo sido vendido em 1999 na Sotheby’s (Londres). Os peritos da Sotheby’s (a segunda casa de leilões mais antiga do mundo) estimavam que este modelo único poderia chegar a valores entre 3 e 5 milhões de dólares, mas nunca aos 11 milhões. Contudo, seria impossível prever a intensa competição que surgiu. Com 2 faces e 24 funções (ou “complicações”, como Henry Graves gostava de lhes chamar), foi na sua altura o relógio mais complexo. Feito propositadamente para o magnata, demorou 4 anos a ser construído, e é, obviamente, um exemplar único. E por isso que, há já quase dez anos, é o relógio mais caro do mundo! 

50 milhões

de dólares é o valor que levou ao recente congelamento das contas da Embaixada de Angola nos Estados Unidos da América. O caso remonta a 2008, ano em que foi feita a transferência de cerca de 50 milhões de dólares do Banco Central de Angola para uma conta privada nos Estados Unidos da América. As autoridades americanas pediram esclarecimentos às autoridades angolanas da proveniência e fins desse dinheiro, mas o atraso na justificação e, alegadamente, no fornecimento de todos os dados solicitados, levou as autoridades americanas a congelar as contas da Embaixada de Angola, em Washington, sendo que pedem mais esclarecimentos aos angolanos. 

« voltar